SEMEQ O que é e como funciona o cálculo de confiabilidade?

Entenda como funciona o cálculo de confiabilidade, saiba quais são os principais desafios das plantas industriais e descubra como ter uma planta confiável.

Cálculo de confiabilidade: o que é e como aplicar em sua planta

A confiabilidade é uma característica fundamental em diversos campos da engenharia, ciência, indústria e tecnologia. Ela representa a capacidade de um sistema, dispositivo ou processo de desempenhar suas funções de forma consistente e previsível ao longo do tempo.

Em um mundo cada vez mais dependente de tecnologia e automação, compreender o cálculo de confiabilidade tornou-se essencial para garantir a qualidade e o desempenho de produtos e serviços.

Neste artigo, entenda como funciona o cálculo de confiabilidade, saiba quais são os principais desafios das plantas industriais e descubra como ter uma planta confiável. Acompanhe!

O que é confiabilidade em uma planta industrial?

Confiabilidade refere-se à chance de um componente, uma máquina, um aparelho ou um sistema cumprir sua função de acordo com o projeto e as condições operacionais durante um período específico. Essa definição está estipulada na norma NBR-5462 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Se você está envolvido no campo da manutenção, é provável que já tenha ouvido falar sobre a disponibilidade e a confiabilidade de um dispositivo, certo? Dentro do contexto da manutenção de maquinaria e equipamento industrial, a taxa de confiabilidade assume um papel crucial para o sucesso do plano de manutenção.

Para avaliar isso, consideram-se dados relativos ao histórico de desempenho dos equipamentos, juntamente com uma avaliação qualitativa da sua capacidade de funcionar adequadamente no futuro.

Desafios de plantas industriais que não são confiáveis

A seguir, elencamos alguns dos principais desafios enfrentados por plantas industriais que não são confiáveis, considerando o conceito e o cálculo de confiabilidade.

Aprimorar a eficiência da operação

Administrar de maneira satisfatória a eficácia operacional de uma fábrica implica, acima de tudo, manter as instalações fabris funcionando ininterruptamente pelo máximo de tempo possível. 

Para isso, é crucial minimizar o período de inatividade, que está estreitamente relacionado ao tempo em que as máquinas permanecem inativas. Como é de conhecimento geral, a paralisação das atividades é, em grande parte, causada pelo setor de manutenção.

Reduzir despesas operacionais

Produzir de forma mais rápida, eficaz e econômica é uma meta constante em todos os setores. No entanto, a redução de custos não é uma tarefa simples. 

Existem processos que não podem ser interrompidos ou modificados, já que afetam diretamente a qualidade do produto, o que também representa um desafio para o gestor. Por outro lado, há atividades que podem resultar em desperdício ou não contribuem para a geração de valor.

Modernizar o processo de fabricação

Esse tema pode ser sensível quando abordado no contexto fabril, mas é uma necessidade. Todas as fábricas enfrentam restrições orçamentárias e, portanto, é responsabilidade do gestor incluir a necessidade de investimentos no planejamento fabril.

Uma abordagem para convencer a gestão sobre um determinado investimento pode ser considerar o que é importante e o que é urgente. Muitas falhas em uma linha de produção podem indicar a necessidade iminente de intervenção, mas, se o gestor for analítico, pode combinar esses dois argumentos em um único.

Como é feito o cálculo de confiabilidade?

Agora que o entendimento sobre o conceito está mais claro, é hora de compreender como efetuar o cálculo dessa porcentagem, já que seu plano de ação precisa se basear em dados concretos, e entender exatamente qual é o indicador de confiabilidade. Para calcular, serão necessárias algumas informações.

MTBF

A primeira informação essencial é o cálculo do tempo médio entre falhas (MTBF). Esse indicador reduz o tempo de manutenção do tempo total de atividade do ativo. Em seguida, ele deve ser dividido pelo número de paradas. A fórmula correspondente é a seguinte:

  • MTBF = (tempo de disponibilidade – tempo de manutenção) / número de paradas.

Quanto maior o valor de MTBF, mais saudável é o equipamento, indicando que ele opera por longos períodos sem apresentar falhas.

Taxa de falhas

Outro dado necessário é a taxa de falhas, que é o inverso do MTBF. Para calcular esse número, utilizamos a letra grega lambda (λ) como referência.

A fórmula correspondente é:

  • λ = 1 / MTBF

Para determinar sua taxa de falhas, basta dividir 1 pelo cálculo do MTBF.

Por fim, além dos dados previamente calculados, também precisaremos da constante de Neper (e), cujo valor é 2,7182, e do período de tempo (t) durante o qual se espera que o ativo desempenhe suas funções.

Fórmula de confiabilidade

Agora, temos todos os elementos necessários para executar o cálculo de confiabilidade (R) do equipamento:

  •  R (t) = e^(-λ.t)

A maneira mais simples e segura de ter uma planta confiável

A manutenção preditiva desempenha um papel fundamental na otimização da disponibilidade dos ativos e na redução dos gastos de manutenção nas instalações industriais.

A SEMEQ é uma empresa especializada em monitoramento de máquinas voltado para a manutenção preditiva. Com uma equipe composta de mais de 300 colaboradores operando em mais de 40 nações, temos o orgulho de monitorar regularmente mais de 500 plantas industriais.

Uso de sensores on-line

Diferentemente de outras técnicas de coleta de dados off-line, como análise de óleo, termografia, MTE (medição de tensão elétrica) e ultrassom, os sensores on-line da SEMEQ possibilitam um monitoramento contínuo, viabilizando a detecção imediata de falhas e irregularidades, permitindo uma intervenção rápida antes que o problema se agrave.

Uma das características primordiais dos sensores da SEMEQ é sua capacidade de análise de dados e geração de informações relevantes. Esses sensores contam com configurações de alerta por frequência, acionando a inteligência artificial (IA) para avaliar frequências, modulações de curvas, harmônicas, coeficientes angulares das curvas, regressões e muito mais.

Os sensores da SEMEQ também apresentam um nível de proteção IP69K, que assegura sua instalação em ambientes críticos sujeitos a água, jatos de água, poeira e outras condições adversas. Seu método de fixação, por meio de parafusos, proporciona mais estabilidade e firmeza, garantindo a qualidade do sinal.

Acompanhamento de dados por plataforma

Com a ferramenta de visualização de informações da SEMEQ, a MySemeq, é possível reconhecer padrões, tendências e comportamentos irregulares nos dispositivos, viabilizando a previsão de falhas e a aplicação de estratégias de manutenção preditiva. 

A análise de informações é um elemento fundamental para a manutenção. Nas instalações industriais, essa avaliação permite aprimorar procedimentos, identificar chances de aprimoramento e embasar escolhas com base em informações.

Tenha uma planta confiável com a SEMEQ

Aumente a confiabilidade da sua planta industrial com as soluções da SEMEQ. Fale com um dos nossos consultores agora mesmo e descubra como otimizar a eficiência das suas unidades fabris.

Aproveite para entrar em contato conosco hoje mesmo! Leia mais conteúdos como esse em nosso blog:

Indicados para você

monitoramento-de-corrente-e-tensão-e-quais-as

O que é monitoramento de corrente e tens...

O monitoramento de corrente e tensão elétrica é um...

Ler Tudo
sensor-inteligente-de-vibracao

Entenda por que o sensor inteligente par...

As máquinas apresentam vibrações durante o seu fun...

Ler Tudo
#44746---Curva ABC na manutenção

Curva ABC na manutenção: o que é importa...

O uso da curva ABC na manutenção de equipamentos é...

Ler Tudo
5s-na-manutencao-industrial

5s na manutenção industrial: o que é, co...

O objetivo da ferramenta 5S na manutenção industri...

Ler Tudo

Convertendo dados em ativos mais eficientes.

A combinação e o tratamento de dados realizados pela Semeq, resultam em informações valiosas para a sua tomada de decisão.

Conheça nossos serviços