SEMEQ Indústria 4.0: o que é e benefícios para o mercado de preditiva

o-que-e-industria-4.0

Indústria 4.0: o que é, principais ferramentas e benefícios para a manutenção preditiva

Cerca de 69% das indústrias brasileiras já fazem uso de pelo menos uma das 18 tecnologias digitais da Indústria 4.0, segundo um levantamento recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). No entanto, a pesquisa indica que a maioria dessas empresas ainda utiliza uma baixa quantidade de tecnologias digitais – 26% delas usam de 1 a 3 dessas tecnologias, enquanto apenas 7% delas adotam 10 ou mais.

Assim, fica claro que a Indústria 4.0 no Brasil ainda se encontra em um estágio inicial do seu processo de digitalização. O que, por um lado, pode oferecer um diferencial competitivo às empresas que investirem na tecnologia para suas operações.

Neste artigo, vamos explicar o que é a Indústria 4.0, como essa tecnologia evoluiu ao longo do tempo, apresentar as suas principais ferramentas e mostrar os benefícios trazidos para a manutenção preditiva e o monitoramento das atividades das máquinas.

Indústria 4.0: o que é e principais conceitos

A Indústria 4.0 nasceu na Alemanha, em 2011, durante a Feira de Hannover. O objetivo era aumentar a produtividade e a competitividade da indústria do país e recuperar a sua participação no valor agregado da indústria global.

Basicamente, a Indústria 4.0 é a continuação das evoluções tecnológicas ao longo dos anos, mas agora com a automação de processos industriais e manufaturas como nunca se viu.

Algumas ferramentas da Indústria 4.0 são: computação em nuvem, inteligência artificial, internet das coisas e robótica. Esses novos recursos possibilitam automatizar e conectar toda a linha produtiva, oferecendo benefícios expressivos à operação.

Quais são as ferramentas da Indústria 4.0?

Ao falar sobre o que é a Indústria 4.0, é impossível não imaginar a inteligência artificial. Basicamente, todas as ferramentas dessas tecnologias podem ser aplicadas no campo industrial como forma de otimização e produtividade de máquinas.

Veja, a seguir, alguns exemplos.

Machine learning

Machine learning (aprendizado de máquinas) é uma tecnologia que usa algoritmos para coletar dados e aprender com eles. Esse sistema é capaz de modificar o seu comportamento autonomamente, tendo como base a sua própria experiência.

Assim, em vez de implementar rotinas de software manualmente, a máquina é programada para usar uma quantidade grande de dados e algoritmos que dão a ela a habilidade de aprender como executar as tarefas.

Dados em nuvem

A coleta e a análise de dados estão entre os pontos principais da manutenção na Indústria 4.0. O big data é uma estrutura sistematizada e digitalizada capaz de extrair informações, avaliar o desempenho das máquinas e oferecer relatórios sobre o panorama atual, de modo preciso e imediato.

Internet of things

A internet das coisas (internet of things) permite conectar equipamentos por meio da internet, para integrar o funcionamento de seus periféricos em um único lugar, por meio de sensores e softwares. Com essa tecnologia, dispositivos e máquinas podem conversar entre si e ser acessados remotamente, proporcionando maior agilidade nas linhas de montagem, maior facilidade de manutenção das máquinas e uma maior integração em toda a cadeia de suprimentos.

Benefícios da Indústria 4.0 na manutenção preditiva

Evita paradas na linha de produção

A análise preditiva determina previamente a necessidade de intervenções, eliminando a necessidade de desmontar as máquinas para inspeções. Essa estratégia evita paradas dispendiosas na linha de produção, garantindo, assim, a continuidade das operações e reduzindo os custos de manutenção.

Para fazer uma analogia, é como se fizéssemos um investimento em um plano de saúde. Em vez de esperar a máquina quebrar, essa tecnologia fornece dados e informações que indicam qual é a probabilidade de a máquina falhar e qual é o possível problema. Desse modo, a fábrica pode atuar antes que essa máquina quebre.

Maior precisão com o uso de dados

Na manutenção preditiva, os dados gerados permitem a realização de análises sobre as condições das máquinas, utilizando ferramentas de mineração de dados, ciência de dados e estatísticas. Essa abordagem proativa e preventiva acusa a necessidade de reparos nas máquinas e oferece relatórios mais completos e eficientes.

Os algoritmos de inteligência artificial da SEMEQ, por exemplo, contam com um banco de dados que vem sendo construído há mais de 15 anos, com mais de 60 mil equipamentos analisados por mês. Juntos, o sensor de vibração e o sensor de análise de circuito de motores elétricos cobrem a maior parte das falhas.

Monitoramento on-line via sensores

Os sensores inteligentes para a Indústria 4.0 podem ser utilizados para monitorar bombas, ventiladores, compressores, motores elétricos, turbinas, entre outros. Esses dispositivos possibilitam monitoramento mais preciso e maior previsibilidade de falhas.

Os sensores inteligentes de vibração on-line da SEMEQ têm altíssima sensibilidade e são capazes de detectar diversos modos potenciais de falhas elétricas e mecânicas, além de terem bateria com durabilidade média de 3 anos, podendo ser trocada depois. Com isso, é possível monitorar o desempenho de equipamentos 24/7.

Cenário da Indústria 4.0 no monitoramento preditivo no Brasil

A Indústria 4.0 no Brasil já fez avanços importantes, mas ainda precisa vencer muitos desafios para acompanhar o ritmo dos países desenvolvidos. A indústria representa hoje cerca de 11% do PIB brasileiro, e ocupa atualmente a 57ª posição entre 132 países no Índice Global de Inovação, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Esse cenário é confirmado pela Pesquisa ABDI Conectividade e Indústria, realizada com 401 empresas de médio e grande portes brasileiras. De acordo com o documento, tecnologias inovadoras, como inteligência artificial e big data, não são vistas como prioridades na agenda estratégica do setor industrial do país, mesmo em um cenário em que a digitalização ganha cada vez mais relevância na economia.

Ainda assim, a Indústria 4.0 no Brasil tem grandes possibilidades de crescimento. Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a estimativa anual de redução de custos industriais com as novas tecnologias será de, no mínimo, R$ 73 bilhões/ano no Brasil. Isso se deve à redução nos custos de manutenção de máquinas e no consumo de energia.

Como aplicar a manutenção prescritiva na sua planta industrial?

Agora que você já sabe a importância da Indústria 4.0, é hora de trazer essa revolução tecnológica para a sua empresa.

A SEMEQ é uma empresa líder de serviço de preditiva on-line. Ela faz o monitoramento on ou off-line da manutenção preditiva e assume toda a responsabilidade pela manutenção das máquinas.

Com base em nossa experiência, a SEMEQ conhece os requisitos exatos para fazer o monitoramento remoto de suas máquinas e garantir a continuidade de sua linha de produção.

Fale com os nossos consultores

Indicados para você

MTBF e MTTR: entenda como funcionam essa...

O MTBF e o MTTR são duas métricas que auxiliam na ...

Ler Tudo
sensores-inteligentes-na-industria-4.0

Sensores inteligentes na indústria 4.0: ...

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria...

Ler Tudo

6 técnicas de manutenção preditiva utili...

As técnicas de manutenção preditiva são eficientes...

Ler Tudo
novo-sensor-axon-hd

Revolucionamos o mercado! Conheça nosso ...

O AXON HD, nosso lançamento, conta com diferenciai...

Ler Tudo

Convertendo dados em ativos mais eficientes.

A combinação e o tratamento de dados realizados pela Semeq, resultam em informações valiosas para a sua tomada de decisão.

Conheça nossos serviços